“Jornalistas robôs” estão cada vez mais presentes nas redações

Se por um lado eles podem liberar os jornalistas de tarefas mecânicas, também podem representar um ponto fraco na produção de notícias, se os dados estiverem errados ou mal estruturados

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

00_zero

Foto: Reprodução/Planeta Babel
Associated Press usa “jornalistas robôs” para publicar informes financeiros – Foto: Reprodução

Os “jornalistas robôs” estão cada vez mais presentes nas redações. Eles permitem a publicação rápida de um grande volume de textos e são usados, em geral, para informações que não precisam de muita análise, como resultados de eleições e eventos esportivos. Utilizando esse recurso, a Associated Press conseguiu publicar, em um trimestre, mais de três mil informes financeiros. Na coluna desta semana, o jornalista Carlos Eduardo Lins da Silva comenta este quadro e chama a atenção para as vantagens e para os riscos desse tipo de programa.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados