Instituir o bônus por economia ajudaria no uso racional da água

Redução da tarifa às famílias de baixa renda e setor público e mudança no faturamento podem frear desperdícios

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

O presidente da Sabesp, Jerson Kelman, informou que a empresa deve propor à Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo a redução da cobrança para famílias de baixa renda e setor público. O primeiro grupo já recebe o benefício da tarifa social.   

Segundo o professor da Escola de Comunicações e Artes (ECA) da USP e coordenador do Rede Internacional de Estudos sobre Meio Ambiente e Sustentabilidade (Rimas),  Pedro Luiz Côrtes, é necessário adotar medidas para promoção do uso racional da água, uma vez que períodos de estiagem são recorrentes – foram sete em 63 anos.

Foto: Fernanda Carvalho / Fotos Públicas

Uma das ações que o professor defende é a de institucionalizar o bônus por economia de recursos e o aumento mais progressivo nas faixas de maior consumo. Ele explica que hoje, mesmo que o volume de água utilizado por uma residência seja menor de 10 metros cúbicos, a conta a ser paga leva esse nível de consumo como valor mínimo a ser cobrado.

O Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados