Índice de confiança da indústria volta a cair em dezembro

O quadro de pessimismo dos empresários está ligado ao momento político

Por - Editorias: Atualidades
Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail
Foto: Agência Brasil
Foto: Agência Brasil

.
Boletim Indústria do Ceper-Fundace, vinculado à Fearp, elaborado com base em dados da CNI, mostra queda no índice de confiança do empresário industrial e também no emprego, rendimento médio e faturamento das empresas.  Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei) voltou a apresentar queda em dezembro pelo segundo mês consecutivo e fechou o ano abaixo dos 50 pontos, indicando quadro de pessimismo por parte do empresariado do setor.

“A piora das expectativas está relacionada ao momento político decorrente dos problemas ligados à corrupção, que lança dúvidas sobre a sustentabilidade do atual governo, somado à forte crise fiscal que vem atingindo Estados e municípios”, destaca o economista Luciano Nakabashi, um dos coordenadores do boletim, pesquisador da Fundace e professor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (Fearp) da USP.

O Icei, elaborado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), é composto de indicadores desenvolvidos com base em questões referentes às condições atuais e às expectativas para os próximos seis meses, para a economia e para a própria empresa, de acordo com os executivos consultados. O indicador sobre as condições atuais da economia sofreu uma forte queda, caindo de 42,4 pontos em novembro para 37 pontos em dezembro. Já o indicador que mede a expectativas em relação à empresa segue dentro do nível de otimismo (acima de 50 pontos), mesmo tendo voltado a cair pelo segundo mês seguido.

O Boletim Indústria do Ceper-Fundace também apresenta dados sobre emprego, rendimento médio real e faturamento real da indústria de transformação. Os números mostram queda de 6% no emprego em dezembro de 2016, na comparação com o mesmo mês de 2015. O faturamento real da indústria apresentou, em dezembro, a maior queda de todo o período analisado (que teve início em abril de 2014), com redução de 18% na comparação com dezembro de 2015.

Já a chamada Sondagem Industrial, composta de indicadores sobre utilização da capacidade instalada, volume de produção e evolução do número de empregados, mostra elevação. O indicador de volume de produção mostrou aumento em relação ao mês anterior, atingindo 47 pontos. O nível médio de utilização da capacidade instalada também mostrou evolução positiva. Já o indicador de número de funcionários ficou estável com relação a novembro de 2016. Os três indicadores, entretanto, seguem abaixo da linha dos 50 pontos, mostrando situação negativa.

O Boletim Indústria está disponível no site da Fundace.  https://www.fundace.org.br/_up_ceper_boletim/ceper_201612_00257.pdf

Indicadores – A Sondagem Industrial é realizada com base em dados sobre volume de produção, nível de utilização da capacidade instalada, estoques de produtos finais, perspectivas para os próximos meses quanto à demanda, compra de matéria-prima e exportação. O Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei) é construído com base em questionamentos feitos aos empresários industriais das áreas extrativistas e de transformação sobre as condições atuais e para os próximos seis meses quanto às condições gerais internas da empresa, da economia brasileira e do Estado de São Paulo.

A produção dos indicadores regionais é resultado de uma parceria entre a Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (Fearp) da USP e a Fiesp – Federação das Indústrias do Estado de São Paulo. Sua execução fica a cargo do Ceper/Fundace – Centro de Pesquisa em Economia Regionais da Fundação para Pesquisa e Desenvolvimento da Administração, Contabilidade e Economia. Os indicadores foram desenvolvidos pela CNI – Confederação Nacional das Indústrias, que realiza os levantamentos com Federações das Indústrias de diversos Estados do País.

Ceper – O Centro de Pesquisa em Economia Regional foi criado em 2012 e tem como objetivo desenvolver análises regionais sobre o desempenho econômico e administrativo regional do País. Sua criação reúne a experiência de diversos pesquisadores da Fearp da Universidade de São Paulo em pesquisas relacionadas ao Desenvolvimento Econômico e Social em nível regional, a análise de Conjuntura Econômica, Financeira e Administrativa de municípios e Gestão de Organizações municipais, entre outros.

Por: Assessoria de Imprensa da Fundace

 

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados