Genocídio de Alepo é um triste epílogo em um ano de conflitos

Toda guerra é suja, mas isso não significa que os envolvidos devam ser tratados imparcialmente

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

logo_radiousp790px

Alepo rasgou o princípio de que inocentes devem ser poupados - Foto: Ismail Abdalrhman/Reuters via Facebook
Em Alepo, sequer os inocentes foram poupados – Foto: Ismail Abdalrhman/Reuters via Facebook

Em um ano marcado por muitas conflagrações e frágeis ensaios de acordos, cuja tônica foi dada pela crise dos refugiados, pela nova desordem mundial, por crimes de guerra acompanhados on-line, pelo cinismo e impunidade, chama a atenção o genocídio cometido impunemente pelo governo de Bashar al-Assad – com  o auxílio do presidente russo Vladimir Putin – na devastada cidade síria de Alepo, onde os requintes de sadismo não poupam sequer os vencidos. Todos são alvos em potencial: rebeldes, crianças, velhos, doentes ou combatentes.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados