Fiocruz e USP lançam plataforma para criar dispositivos de diagnósticos

Numa primeira fase, a ideia é ter chips para diagnósticos de zika e dengue

Por - Editorias: Atualidades, Rádio USP
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Um esforço conjunto entre Fiocruz, USP, Governo do Estado de São Paulo e Prefeitura Municipal de Ribeirão Preto pode levar o Brasil a uma  desoneração em torno de US$ 19 bilhões no déficit ocasionado pela importação de insumos da indústria biofarmacêutica na balança comercial brasileira.

É o que poderá gerar uma plataforma para aproximação da pesquisa básica orientada ao desenvolvimento de produtos biotecnológicos, que está em fase de implantação no campus da USP em Ribeirão Preto.  

O projeto piloto dessa plataforma tem foco nos dispositivos médicos, com  ênfase inicialmente em um dispositivo molecular POC, point of care, para detecção dos vírus de zika, dengue e chikungunya.

O diretor da Fiocruz em Ribeirão Preto, Rodrigo Stábeli, falou mais sobre essa plataforma e seu impacto no sistema de saúde brasileiro e no mercado nacional de diagnósticos e insumos para diagnósticos. Clique no link acima e ouça a matéria na íntegra.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados