Fim do narcotráfico pelas FARC preocupa segurança brasileira

Afastamento das antigas forças do tráfico de droga gera interesse de facções nacionais no controle da atividade

Uma escultura que simboliza um país em paz foi exibida durante o ato final da guerra histórica de armas das Farc – Foto: Efraín Herrera – SIG

Abandonando um passado de sequestros, crimes e narcotráfico, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia, populares FARC, após um acordo de paz, tornaram-se um partido político — a Força Alternativa Revolucionária do Comum.

O que era para ser uma ótima notícia aos sul-americanos virou um potencial problema às autoridades brasileiras de segurança. Segundo investigações, facções criminosas que atuam nos presídios nacionais estão interessadas na produção e controle do tráfico de cocaína na América do Sul.

Sobre a possível ameaça, a Rádio USP conversou com o professor Gabriel Feltran, do Departamento de Sociologia da Universidade Federal de São Carlos e coordenador científico do Centro de Estudos da Metrópole (CEM) da USP.

.

.


Política de uso 
A reprodução de matérias e fotografias é livre mediante a citação do Jornal da USP e do autor. No caso dos arquivos de áudio, deverão constar dos créditos a Rádio USP e, em sendo explicitados, os autores. Para uso de arquivos de vídeo, esses créditos deverão mencionar a TV USP e, caso estejam explicitados, os autores. Fotos devem ser creditadas como USP Imagens e o nome do fotógrafo.