Fim da linha para trens reflete em congestionamentos rodoviários

Até os anos 1930, todo o deslocamento entre as cidades brasileiras acontecia por trem. No começo da década de 1990, São Paulo ainda contava com trens de passageiros

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Em sua coluna semanal para a Rádio USP, a professora Raquel Rolnik lamenta o total desaparecimento da malha ferroviária do País, que imperava absoluta como principal forma de transporte até os anos 1930. No entanto, uma política que privilegiou a construção de rodovias,  pontes e viadutos acabou por fazer os trens virarem peças de museus. Um dos sintomas dessa predominância do transporte rodoviário, em detrimento ao ferroviário, são os congestionamentos gigantes que se formam em nossas estradas, principalmente em datas festivas, como vimos, muito recentemente, no Natal e no Ano Novo.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados