Exposição resgata as memórias das ditaduras na América Latina

Mostra aborda a participação de setores influentes da sociedade civil nos golpes militares

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

No Brasil, há uma cultura escassa de direitos humanos ao se discutir a violência que os regimes totalitários aplicaram ao longo da história contra a população. É o que conta o membro  do Grupo de Pesquisa Direitos Humanos, Democracia, Política e Memória do Instituto de Estudos Avançados (IEA), Márcio Seligmann-Silva, para explicar a importância da exposição Hiatus: a Memória da Violência Ditatorial na América Latina. A apresentação estreou no último sábado (21), às 10h, no Memorial da Resistência de São Paulo.

Ele afirma que o intuito é levar ao público uma reflexão acerca dos momentos violentos que marcaram a história das ditaduras latino-americanas. O evento mostra, também, a influência dos empresários e políticos na sustentação dos golpes ditatoriais.

Essa iniciativa é gratuita, aberta ao público e conta com o apoio do IEA. Estarão expostos os trabalhos de quatro artistas brasileiros e quatro estrangeiros, além da realização de debates e a participação de ex-operários que sofreram com a repressão durante a ditadura militar no Brasil. Para mais informações, basta acessar o site.

O Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados