Espírito crítico é essencial no mundo acadêmico, diz colunista

Para Renato Janine, nada justifica a postura do prefeito que invadiu uma universidade e impediu realização de debate

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Em sua coluna desta semana, o professor Renato Janine Ribeiro fala sobre um caso ocorrido no último dia 29 de novembro, na Universidade Federal do Pará (UFPA). O prefeito Dirceu Biancardi, da cidade paraense de Senador José Porfírio, invadiu uma das salas para impedir a realização de um evento acadêmico que apresentaria um estudo sobre a mineradora canadense Belo Sun e ameaçou os participantes. (Veja aqui a nota oficial da UFPA.)

Para o colunista, nada justifica a atitude do prefeito. “O exercício do espírito crítico é fundamental para o mundo acadêmico. Não há universidade, conhecimento ou formação de nível superior se não envolver um conhecimento adequado das coisas e de críticas a elas”, diz o colunista. E isso envolve assuntos das ciências biológicas, exatas e humanas.

Segundo o professor, um caso de mineração pode afetar as riquezas do País (questões minerais), pode afetar a vida humana e animal (assunto da biologia) e pode afetar as condições de vida (assunto das ciências sociais). “Em todos os casos, é muito importante que a ciência esteja presente. Até porque muitas vezes os ganhos obtidos com a exploração pura e simples da natureza podem ser ganhos de curto prazo que acabam trazendo problemas enormes a longo prazo”, destaca o colunista. E lembra da ex-senadora Marina Silva: uma vítima do mercúrio utilizado na mineração no Acre. Janine destaca ainda que era necessário um posicionamento oficial, tanto do Ministério da Educação (MEC) como do PSDB, partido de Biancardi.

Ouça acima o áudio na íntegra.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados