Especialista afasta risco de febre amarela em áreas urbanas

Professor da USP esclarece quem deve ser vacinado e a eficácia da dose fracionada

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Desde o final do ano passado, foram registrados mais de 40 casos de Febre Amarela Silvestre, dos quais 21 levaram ao óbito. Diante dessa situação, houve  ampliação da vacina em diversas partes do país, principalmente em áreas florestais.

Foto: Divulgação/Prefeitura de Pitangueiras (SP)

O professor Marcos Boulos, do Departamento de Moléstias Infecciosas e Parasitárias da Faculdade de Medicina da USP, responsável pela Coordenadoria de Controle de Doenças da Secretaria do Estado de São Paulo, acredita que centros urbanos estão livres do vírus, as pessoas em situação de risco são principalmente moradores de áreas florestais e viajantes, constituindo o grupo prioritário de vacinação. Ele garante que a dose fracionada é extremamente eficaz, tem duração de 8 anos e começa a ser distribuída no dia 3 de fevereiro ( um dia após a entrevista ir ao ar, a Secretaria de Saúde do Estado decidiu antecipar a vacinação para o dia 29 de janeiro). Por fim, o professor Boulos esclarece quais grupos de pessoas devem ou não ser vacinados; por exemplo, idosos devem fazer uma avaliação prévia e crianças com menos de 9 meses não devem receber a dose, assim como os alérgicos a ovo e os imunodepressivos.  

O Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré. Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular. Você pode ouvir a entrevista completa no player acima.

 

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados