Efeitos do pacote econômico não mudam cenário de crise, diz colunista

Professor da Fearp destaca regularização das dívidas tributárias das empresas como uma medida de efeito a curto prazo

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Acompanhe a entrevista com o professor Luciano Nakabashi (Fearp-USP):

 

Foto: Marcelo Casal/ Agência Brasil
“Pacote faz justiça com a rentabilidade do FGTS” – Foto: Marcelo Casal/ Agência Brasil

As medidas econômicas anunciadas pelo governo federal na semana passada não devem ter efeitos muito grandes diante da crise que o País alcançou nos últimos governos. Algumas delas são muito importantes, mas só vão ser sentidas ao longo do tempo.

Segundo o professor da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP de Ribeirão Preto, Luciano Nakabashi, o pacote faz justiça com a rentabilidade do FGTS e destaca, como efeito positivo a curto prazo, a regularização das dívidas tributárias das empresas.

No médio e no longo prazo, cita a desburocratização do sistema trabalhista e o anúncio de crédito do BNDES, principalmente para o financiamento às micros e pequenas empresas, que estão sofrendo muito com a crise.

Mas, no geral, Nakabashi vê o pacote com medidas que não mudarão muito o atual cenário. Para sair da crise, o País precisará de mais paciência, além de promover as reformas da Previdência, do mercado de trabalho e buscar por investimentos. E isso não acontecerá de uma hora para outra.

 

 

 

 

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados