Ebook gratuito descreve políticas para o esporte de alto rendimento no Brasil

Livro é resultado de trabalho apresentado no segundo “Simpósio Internacional Sobre Políticas para o Esporte de Alto Rendimento”, realizado na Escola de Educação Física e Esporte (EEFE)

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Está disponível para download gratuito ebook que apresenta os resultados da pesquisa Análise das políticas e do clima/ambiente para o esporte de alto rendimento nos diferentes níveis de organização governamental e não governamental brasileiros. Trata-se de um panorama das políticas para o Esporte de Alto Rendimento em nove Estados brasileiros, nove capitais e no Distrito Federal, contemplando as cinco regiões do País. O trabalho foi apresentado no segundo Simpósio Internacional Sobre Políticas para o Esporte de Alto Rendimento, realizado na Escola de Educação Física e Esporte (EEFE) da USP em janeiro de 2016.

Os resultados da pesquisa são relativos ao esporte de alto rendimento, mas não se restringem a ele, pois expõem dados sobre o financiamento do esporte, questões relacionadas à educação física escolar e ao esporte de participação nas cinco regiões brasileiras, nos níveis estadual e municipal. Trata-se de uma obra que apresenta dados, informações e avaliações sobre o fenômeno esporte de maneira global na realidade brasileira. Outros temas específicos também são tratados, como aspectos organizacionais, relativos às instalações esportivas, à detecção e promoção de talentos, à carreira de atletas e técnicos, às competições e ao próprio papel da ciência no desenvolvimento do esporte de alto rendimento.

O trabalho foi conduzido entre 2014 e 2016 por membros do Laboratório de Treinamento e Esporte para Crianças e Adolescentes (LATECA) da EEFE, com coordenação da professora Maria Tereza Silveira Bohme e financiamento do Conselho Nacional de Pesquisa – CNPq. O estudo envolveu levantamentos bibliográficos, entrevistas com gestores de secretarias municipais e estaduais de Esporte e de Educação e aplicação de questionários a atletas, técnicos e gestores da área.

Divisão em temas

A pesquisa, subdividida em dois temas (A e B), enfatizou a educação física, o esporte escolar, o desenvolvimento de talentos e o desenvolvimento da carreira do atleta. O Tema A focou na efetividade das políticas de esporte nas diferentes regiões brasileiras. Já o Tema B buscou analisar o clima/ambiente geral para o esporte de alto rendimento na visão dos profissionais da área, como atletas, gestores e técnicos esportivos. Para o Tema A, foram formulados nove questionários, inicialmente respondidos com informações coletadas pelos próprios pesquisadores e posteriormente complementados com dados de entrevistas com secretarias do esporte e da educação, tanto em nível estadual quanto municipal. Para o Tema B, foram aplicados questionários online a atletas, técnicos e dirigentes de federações e confederações. Nesta parte da pesquisa, mais de 400 respostas foram computadas.

Entraram na amostra os seguintes Estados e suas respectivas capitais, além do Distrito Federal: São Paulo, Minas Gerais, Rio de Janeiro, Paraná, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Bahia, Pernambuco e Amazonas. As unidades federativas abrangidas foram escolhidas levando em consideração quatro parâmetros: a porcentagem de atletas olímpicos que obtiveram medalhas nos Jogos Olímpicos de Londres em 2012; os maiores porcentuais de atletas olímpicos que treinam no Estado; os maiores porcentuais dos orçamentos estaduais destinados ao esporte de rendimento e os maiores porcentuais de colaboração do Estado para o PIB brasileiro.

Os questionários utilizados foram traduzidos do inglês para o português e adaptados para a pesquisa. Originalmente foram desenvolvidos pelo consórcio  Sports Policies factors Leading to International Sport Success (SPLISS), elaborados a partir do modelo de análise SPLISS, o qual propõe nove pilares que determinam a eficiência das políticas para o esporte: 1 – suporte financeiro; 2 – organização e estrutura de políticas para o esporte; 3 – participação e esporte de base; 4 – identificação de talentos e sistema de desenvolvimento, 5 – suporte para atletas e pós-carreira; 6 – instalações esportivas; 7 – desenvolvimento e suporte para técnicos; 8 – competições nacionais e internacionais e 9 – pesquisa científica. Cada pilar é composto de Fatores Críticos de Sucesso (FCS) – os quais são pontuados recebendo um escore para avaliar o desempenho em cada pilar.

O modelo foi desenvolvido pela professora Veerle De Bosscher, da Vrije Universiteit Brussel, na Bélgica, coordenadora do consórcio SPLISS, composto de universidades de quatro países: Bélgica, Reino Unido, Holanda e Austrália.

Os questionários possuem copyright e foram utilizados gratuitamente na pesquisa, devido à existência de um convênio entre a EEFE, o consórcio SPLISS e a Vrije Universiteit Brussel.

Para ter acesso e visualizar o livro, basta acessar este link. É necessário ter instalado um programa de leitura de epub, como, por exemplo, o Adobe Digital, que pode ser encontrado gratuitamente na internet.

Da Seção de Relações Institucionais e Comunicação da EEFE

Mais informações: (11) 3091-2247

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados