“Diversidades” destaca Gabriela Leite e sua luta em defesa das prostitutas

Segundo o professor Ricardo Alexino Ferreira, Gabriela Leite foi uma prostituta com visão política

logo_radiousp790px
.

Desfile da grife Daspu - Foto: Paula Villa Nova Costa/Visualhunt
Desfile da grife Daspu – Foto: Paula Villa Nova Costa/Visualhunt

Gabriela Leite iniciou-se na prostituição em 1973, aos 22 anos, quando ainda estudava na USP. Foi uma batalhadora pelo reconhecimento da profissão. Autora do livro “Filha, Mãe, Avó e Puta” , ela também  lançou uma grife de roupas, a “DASPU”,  que  evocava a cultura das prostitutas. Gabriela também lançou um jornal sobre o tema. Gabriela Leite, que morreu aos 62 anos, vítima de câncer, é o destaque da coluna “Diversidades” desta semana.

 

Textos relacionados