Decisão sobre foro privilegiado deve favorecer Lava Jato

A opinião é do cientista político André Singer em seu comentário semanal para a Rádio USP

O Supremo Tribunal Federal retomou a votação sobre o foro privilegiado. Em sua análise a respeito dos desdobramentos do processo, o cientista político André Singer acredita que tudo aponta para uma restrição do foro privilegiado para deputados e senadores, embora exista uma divergência acerca de essa restrição ser maior ou menor. Para Singer, com a decisão a ser tomada pelo STF, uma série de processos relativos a deputados e senadores, daqui para a frente, vai passar pela 1ª Instância.

“Eu tenho a impressão que isso representa um reforço à Operação Lava Jato”, argumenta ele, que também aborda os possíveis impactos da decisão para o processo político deste ano. Para Singer, há uma duplicidade de aspectos a ser considerada. De um lado, há um avanço no combate à corrução, “o que é bom”; de outro, existe um “excesso visível de judicialização do processo político”, o que “envolve uma interferência indevida”. Trata-se de uma situação contraditória, na qual o cidadão precisa considerar os dois aspectos para poder se orientar quanto ao que virá pela frente, avalia ele.

Acompanhe o comentário na íntegra, clicando no link acima.

Textos relacionados