Crise econômica desestimula adesão à greve, diz professor da USP

Para o economista Heron do Carmo, lentidão da recuperação da economia mantém o medo de perda do emprego

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail


.
O professor do Departamento de Economia da Faculdade de Economia, Administração e Ciências Contábeis, Heron do Carmo, destaca que a pauta de reforma previdenciária gera grandes manifestações ao redor do mundo. Dessa forma, o professor considera que a movimentação já era esperada.

Para ele, a crise econômica atua no sentido de diminuir a adesão à greve, uma vez que os empregados temem o desemprego. O professor pontua que uma parte dos sindicatos mobilizados para a greve pertence ao setor público e não foi afetada diretamente pelo desemprego. Segundo ele, a participação de trabalhadores do setor privado não terá essa mesma proporção.

O professor também vê como bem-vinda a reforma trabalhista, que irá possibilitar uma recuperação mais rápida quando a criação de empregos voltar a crescer. No entanto, ele diz que a recuperação econômica mais vigorosa é esperada apenas para 2018.

O Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados