Criação de políticas públicas depende de subsídios e experiência

Diretora do Centro de Estudos da Metrópole fala sobre as pesquisas em ciências sociais produzidas pela instituição

jorusp

O Momento USP Inovação desta semana apresenta o Centro de Estudos da Metrópole (CEM) da USP. A instituição produz pesquisas avançadas em ciências sociais e investiga temáticas relacionadas à desigualdade, além da formulação de políticas públicas nas metrópoles contemporâneas. O CEM, a partir das pesquisas, tem o compromisso de transferir esse conhecimento, sob a forma de novas tecnologias, indicadores ou metodologias, de forma a torná-lo acessível a novas esferas do governo. A professora Marta Teresa Arretche, diretora do CEM, falou sobre o trabalho produzido no centro de pesquisas e inovação.

Ela explica as quatro linhas de pesquisa do CEM: a primeira está concentrada em mensurar as desigualdades de vários tipos na metrópole. A segunda linha de pesquisas examina o impacto das políticas em reduzir as desigualdades, em que medida elas têm efeito e quais mecanismos explicam seus resultados. Também é estudado como fatores políticos afetam decisões sobre políticas públicas. A última linha de pesquisa examina de fato quem governa as cidades brasileiras. Segundo a professora, não é só o Estado que governa, há outros atores políticos, sociais e econômicos que disputam esse poder. Ela ressalta que essas organizações, sejam criminosas, privadas ou religiosas, não governam na ausência do Estado, mas em interação com ele.

Maria Teresa Arretche comenta que a posição que ela defende é a de que estudar e pesquisar não produzem experiência em formular políticas públicas. Mas todo o material de pesquisa produzido no CEM dá subsídios para que a gestão pública tome decisões. A especialista comenta que as grandes cidades como São Paulo têm a particularidade, de um lado, de concentrar conhecimento e sabedoria, mas também de apresentar uma enorme dificuldade de coordenação de soluções de políticas, que não vem só da aprovação da lei. A criação de políticas públicas é a parte mais difícil e necessária desse processo.

Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.
Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular. Você pode ouvir a entrevista completa no player acima.

Textos relacionados