Conflito de terras vai além da concentração fundiária

Para pesquisadora, deve-se escolher entre priorizar as exportações e a subsistência das famílias do campo

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

O conflito no campo ainda é responsável por dezenas de mortes no Brasil. Para Larissa Mies Bombardi, professora do Departamento de Geografia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP, a raiz do problema está na extrema concentração de terras do País.

A professora soma ao desequilíbrio da estrutura fundiária o recorrente processo de grilagem de terras, sistema fraudulento de propriedade privadas, e a expansão do agronegócio. Na perspectiva de Larissa Bombardi, é preciso escolher entre o modelo de exportação vinculado à economia mundial e a sobrevivência das famílias no campo. Segundo a pesquisadora, trata-se de cenários que não negociam.

O Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados