Como morre uma estrela?

Supernovas, anãs brancas, gigantes vermelhas e buracos negros: o professor João Steiner nos conta um pouco desta fascinante trajetória celeste

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

logo_radiousp_790px
.

Nebulosa planetária NGC 3132, com anã branca no centro - Foto: Hubble
Nebulosa planetária NGC 3132, com anã branca no centro – Foto: Hubble

Dependendo da massa da estrela ela pode terminar de maneira suave, como uma anã branca, ou em uma explosão violenta, que é chamada de Supernova. Na morte das estrelas mais de maior massa, a ejeção de seu envoltório leva também elementos mais pesados para o meio interestelar, que enriquecem planetas e outras estrelas em formação.

Ouça na coluna Entender Estrelas desta semana na Rádio USP.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados