Embaixador avalia cessar-fogo entre o governo colombiano e as Farc

A anistia para crimes menores e a transformação das Farc em partido político são dois aspectos controversos do acordo de paz costurado entre governo e guerrilha

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

logo_radiousp790px

Acordo de cessar-fogo entre Colômbia e as Farc - Foto: Yenny Muñoa/ CubaMINREX via Fotos Públicas
Acordo de cessar-fogo entre Colômbia e as Farc – Foto: Yenny Muñoa/ CubaMINREX via Fotos Públicas

O  governo colombiano e a guerrilha das Farc (Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia) deram  início ao acordo de paz. A medida é um marco na história da Colômbia, após um conflito que durou cinco décadas e deixou mais de 220 mil mortos e 45 mil desaparecidos.

Segundo o embaixador Rubens Barbosa, o acordo – costurado após quatro anos de negociações – é complexo e tem aspectos controversos, que terão de ser amplamente discutidos pelo Congresso e pela população colombiana, que terá de ser convencida de que o fim do conflito entre as forças do governo colombiano e as Farc trará um impacto positivo sobre a economia.   e

 

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados