Colunista explica o que significam siglas comuns nos rótulos de vinhos europeus

As mais utilizadas, que identificam a origem dos vinhos, são DOC, DOP e IGP

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Acompanhe a coluna “Um Brinde de Conhecimentos”, por Mauro Marcelo Alves, para a Rádio USP:

logo_radiousp790px

 

20161017_rotul_colunistamarcelo
Foto: Visual Hunt

O colunista Mauro Marcelo Alves explica que as siglas presentes nos rótulos de vinhos europeus têm a função de identificar a origem do produto. O primeiro passo para essa identificação, segundo Alves, é a delimitação das regiões produtoras e dos respectivos vinhedos. A intenção desse tipo de selo é indicar ao consumidor que um determinado vinho tem origem comprovada.

Por determinação da Comunidade Europeia, um vinho pode ter a sigla DOC (Denominação de Origem Controlada) ou DOP (Denominação de Origem Protegida). Ambas garantem que a bebida foi produzida numa região específica, com uvas típicas. Caso haja, na formulação do vinho, uma uva estranha à área, ele recebe a sigla IGP (Indicação Geográfica Protegida), mas para isso deve manter 85% de uvas regionais.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados