Cobrança flexível no consumo de energia deveria valer para todos

Para professor, tarifa branca opcional só beneficia quem já está adaptado a consumir fora do horário de ponta

Por - Editorias: Atualidades, Rádio USP
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail
Foto: Domínio Público via Wikimedia Commons

A partir de janeiro de 2018, o consumir poderá decidir se adere ou não à tarifa branca na conta de luz. Isso quer dizer que as pessoas poderão escolher se querem ter um valor diferente a ser cobrado no consumo de energia elétrica, de acordo com a faixa de horário do dia.

Na análise do professor Dorel Soares Ramos, da Escola Politécnica (Poli) da USP, a proposta da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) é bem-vinda no conceito, pois esse é um modo de incentivar a população a adequar o consumo para não sobrecarregar o sistema de produção de energia.
Na prática, como é o consumidor quem vai decidir se adere ou não à tarifa branca, quem já tem o perfil de consumo fora do horário de ponta vai se beneficiar com uma redução da conta. Para compensar o desconto, a cobrança de energia ficará mais cara nos horários de maior demanda pelo consumo, prejudicando quem não adere à cobrança flexível.
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados