Clubes começam a investir em atletas com habilidades físicas e técnicas

Até agora, testes sempre deram ênfase para a parte física, deixando a técnica em segundo plano, uma tendência que começa a mudar

Nesta semana, o professor Paulo Roberto Santiago fala sobre a desproporção nas pesquisas relacionadas aos esportes. Santiago diz que “há poucos trabalhos que avaliam as técnicas de movimentos quando comparados com os estudos que avaliam as capacidades fisiológicas”.

No futebol, diz o professor, boa parte dos treinadores e dos preparadores físicos acaba dando ênfase em testes para verificar a questão da aptidão física dos jogadores, como, por exemplo, a parte aeróbica, anaeróbica, testes de velocidade, força e flexibilidade. “Existe uma negligência nos testes que são relacionados à verificação das habilidades técnicas dos atletas. Ao se comparar, os estudos físicos são quase o dobro daqueles relacionados à parte técnica.”

Entretanto, o professor alerta que “muitos times e equipes esportivas vêm contratando profissionais que tenham maior domínio da biomecânica, principalmente quando o foco não é só a parte física, mas também a técnica”. Ouça, no link acima, a íntegra da coluna do professor Paulo Santiago.

Por: Thainan Honorato

Textos relacionados