Catarata é um mal reversível, desde que tratada, diz especialista

Catarata, a principal causa de cegueira reversível no Brasil e no mundo, especialmente em pessoas com mais de 60 anos

Por - Editorias: Atualidades, Rádio USP
Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Acompanhe a entrevista da repórter Simone Lemos com Amaryllis Avakian, do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP:

logo_radiousp790px

Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília
Foto: Pedro Ventura/Agência Brasília

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a catarata é responsável por 47,8% dos casos de cegueira no mundo, acometendo principalmente a população idosa. Trata-se de uma doença multifatorial, e pode ser congênita ou adquirida. A causa mais comum da catarata é o envelhecimento do cristalino, que ocorre pela idade, denominada de catarata senil. No entanto, ela também pode estar associada a alterações metabólicas que ocorrem em certas doenças sistêmicas (Diabetes mellitus, por exemplo), oculares, tabagismo, alcoolismo, secundária ao uso de certos medicamentos ou o trauma ocular.

“A catarata é considerada a principal causa de cegueira reversível no Brasil e no mundo, especialmente em pessoas com mais de 60 anos”, afirma a médica Amaryllis Avakian, chefe do setor de catarata do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP) da USP. De acordo com ela, a catarata é, hoje, um problema de saúde pública, agravado pelo fato de que, em muitas regiões do planeta, o paciente não consegue ter acesso ao tratamento da moléstia.

A catarata ocorre numa parte do olho chamada cristalino, responsável pela focalização das imagens, o qual perde a transparência, tornando-se opaco e, progressivamente, prejudicando a visão até sua perda quase total ou total. Por isso, diz  Amaryllis, é muito importante fazer o diagnóstico da doença antes que progrida. A cirurgia é a única forma de tratamento e deve ser feita, preferencialmente, ainda nos primeiros estágios da moléstia. Como ela atinge os dois olhos, nem sempre o paciente percebe que tem catarata, “daí a importância de ir regularmente ao oftalmologista, sobretudo após os 50 anos”.

A cirurgia de catarata – “a mais realizada no mundo todo” –  é um procedimento relativamente simples, no qual o cristalino é substituído por uma lente artificial. Ainda segundo a médica, a recuperação depende de fatores como idade do paciente e grau de evolução da doença.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados