Brasil não passa por desindustrialização precoce

Fernando Botelho, professor da FEA, acredita que o encolhimento da indústria é um fenômeno mundial

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Acompanhe a entrevista de Marcia Avanza com o professor da FEA-USP Fernando Botelho:

logo_radiousp790px

Foto: David Alves/Pal. Piratini - Fotos Públicas
Foto: David Alves/Pal. Piratini – Fotos Públicas

Embora o relatório da Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD) aponte que a indústria brasileira entrou em declínio e passa por um desmantelamento precoce, o professor do Departamento de Economia da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP (FEA-USP) defende que esse processo vem acontecendo em todo o mundo em razão do crescimento do setor de serviço. A UNCTAD considera a desindustrialização precoce quando a economia regride para a agricultura ou cai na informalidade, ao invés de evoluir em direção à indústria de serviços com alto valor agregado.

.

.

.

.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados