Avanços na genética são tema de nova coluna da Rádio USP

Mayana Zatz conta que uma amostra de sangue é suficiente para diagnosticar mais de 6.400 doenças

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

As genéticas humana e médica têm obtido resultados muito satisfatórios para a medicina nos últimos anos. Segundo Mayana Zatz, nova colunista da Rádio USP, consumir todo o conhecimento que se tem produzido é um desafio, tamanha é a quantidade de estudos que avançam sobre o tema. Mayana, coordenadora do Centro de Pesquisas do Genoma Humano e Células-Tronco e do Instituto Nacional de Células-Tronco em Doenças Genéticas, estreia sua coluna semanal, “Decodificando o DNA”, no dia 7 de março, às 10h50.

A doutora conta que uma única amostra de sangue é suficiente para diagnosticar mais de 6.400 doenças genéticas. O diagnóstico precoce é importante tanto para a definição de medidas terapêuticas e direcionamento do tratamento, quanto para o planejamento de gestações. É possível prevenir o nascimento de crianças afetadas quando se conhece o risco de transmissão do gene responsável por doenças sem cura.

Estudos com células-tronco também tiveram avanços. Hoje, o sangue de pacientes com doenças genéticas é coletado e são testadas em laboratório inúmeras drogas e terapias. É como ter “o paciente num tubo de ensaio”, diz Mayana. Tudo isso só é possível pelo progresso tecnológico e científico observado nessa área.

Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular. Você pode ouvir a entrevista completa no player acima.

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Textos relacionados