As edições universitárias no Brasil

Dos anos 1930 aos anos 1950, vigorava, no Brasil, o comércio das edições estrangeiras

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

logo_radiousp790px
.

Coleção documentos brasileiros, da José Olympio: editora preocupada em divulgar autores brasileiros na área de ciências humanas - Imagem: Arte sobre capas de livro
Coleção documentos brasileiros, da José Olympio: editora preocupada em divulgar autores brasileiros na área de ciências humanas – Imagem: Arte sobre capas de livro

Hoje, as edições universitárias são uma realidade em todos os cantos do País. Nem sempre foi assim, porém, uma vez que elas têm uma história muito particular. Somente a partir da organização de um sistema de ensino superior é que se começa a pensar na sistematização da edição universitária. Antes, os compêndios eram em língua estrangeira, em sua maioria, e, quando não traduzidos e produzidos pelos próprios professores, ficavam por conta de editoras locais, das quais muitas eram estrangeiras.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados