Artefatos tecnológicos são intérpretes da realidade

Luli Radfahrer analisa aspectos pertinentes às tecnologias existentes na corrente da ética das coisas

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Em sua coluna semanal, Luli Radfahrer comenta sobre a ética das coisas. O professor explica que o conceito se refere à ideia de que os artefatos são intérpretes da realidade.

Uma ideia presente nessa corrente ideológica analisa até que ponto os humanos têm culpa pelos desdobramentos causados por sistemas eletrônicos e mecânicos.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados