Arrecadação de impostos cresce pelo segundo mês consecutivo

Dois dos principais termômetros da atividade econômica, IPI e Cofins, foram os maiores responsáveis pela alta

Por - Editorias: Atualidades, Rádio USP
Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Os indicadores da atividade econômica do Brasil mostram que a arrecadação de dinheiro pelo governo federal cresceu por dois meses consecutivos. Comparado com o mês de setembro de 2016, este ano o crescimento foi de 6% no mês passado.

Foto: Gerd Altmann via Pixabay/CC

Já o mês de agosto teve alta maior na comparação com o mesmo período do ano passado, 10,78%. Os dados são do Sistema Integrado de Administração Financeira, o SIAF, do Ministério da Fazenda.

Essa alta consecutiva na arrecadação se deve  ao Imposto sobre Produtos Industrializados, o IPI, e à Contribuição para Financiamento da Seguridade Social, a Cofins, tributos que são dois dos principais termômetros da atividade econômica.

O professor Luciano Nakabashi, da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (Fearp) da USP, analisou o cenário.

Para ele, a arrecadação de impostos obtida nesses dois meses consecutivos deve ser utilizada para pagar o déficit do governo e, com isso,  oferecer mais estabilidade na economia, a ponto de atrair mais investimentos produtivos.

Por Lívia Furlan

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Print this pageEmail

Textos relacionados