André Singer avalia primeiras medidas do governo Temer

Também analisa a crise provocada pela divulgação da gravação do ex-ministro do Planejamento, Romero Jucá

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail
Foto: Marcos Corrêa/PR -Fotos Públicas
Foto: Marcos Corrêa/PR -Fotos Públicas

Depois dos anúncios das primeiras medidas do governo Temer, o professor André Singer considera não há surpresa, já que essas ações eram esperadas dentro de uma gestão de forte inclinação liberal, especialmente com a fixação de um teto para os gastos públicos.

Singer, em conversa com a repórter Marcia Avanza, prevê um debate público acirrado após a mudança de orientação em relação ao Estado brasileiro. Essas mudanças, explica ele, são direcionadas para diminuir o tamanho do Estado no longo prazo, o que deve trazer consequências negativas para o país.

No entanto, avalia que “essas propostas são consistentes com o ideário de natureza liberal que o PMDB anunciou antes mesmo da crise chegar ao seu desfecho recente e o atual presidente interino tomar posse”.

Singer também comenta a gravação da conversa do ex-ministro do Planejamento, Romero Jucá, com o ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, que coloca o governo Temer no centro da Operação Lava Jato. E acredita que novas evidências podem abalar o atual governo da mesma forma que abalou o anterior.

logo_radiousp

.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados