América Latina está entre locais mais perigosos para jornalistas

Colunista aborda a mais recente edição do relatório da ONG Repórteres Sem Fronteiras, que cita perseguições e ameaças aos jornalistas

A organização Repórteres Sem Fronteiras publicou, no último dia 25 de abril, seu relatório anual, em que vários países latino-americanos continuam a aparecer entre os mais perigosos para o trabalho do jornalista. Estes riscos ameaçam até mesmo a integridade física e a vida dos profissionais, além de outros tipos de perseguição, como processos judiciais.

Nesta edição de “Horizontes do Jornalismo”, o jornalista e professor da USP Carlos Eduardo Lins da Silva comenta os dados do relatório, e conta quais as principais ameaças enfrentadas pelos repórteres no Brasil e no mundo.

Ouça a coluna clicando no player acima.

Textos relacionados