Altos salários e má gestão de compras públicas incitam corrupção

Para especialista, pouca integração do orçamento e falta de práticas preventivas agravam fraudes

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn45Print this pageEmail

Privilégios aos servidores e falta de fiscalização sobre o processo de compras públicas contribuem para a corrupção estatal. Montagem sobre foto de Fabio Pozzebom/Agência Brasil

Enquanto a corrupção se moderniza, as instituições ainda utilizam mecanismos de controle do século XIX. O país possui inúmeros órgãos de controle contra o desvio de dinheiro, entretanto roubos acontecem porque não existe uma inteligência fiscalizatória focada nos processos administrativos e nas compras realizadas pelo Estado.

O diagnóstico é da doutora em sociologia econômica pela USP, Florencia Ferrer. Ela alerta que a verticalização do orçamento ministerial, por exemplo, faz com que uma pasta do governo não tenha acesso às outras. Assim, o mercado consegue vender o mesmo produto por preços e descrições diferentes para o Executivo Federal, gerando gastos desnecessários para o orçamento do governo. Ferrer explica que essa medida permite que servidores construam demandas indevidas no setor público, gerando fraudes nos processos administrativos. 

A socióloga destaca, ainda, que os altos privilégios dos funcionários públicos destoam da realidade empregatícia do brasileiro. Em levantamento realizado por ela, o STF gasta, mensalmente, cerca de um milhão e meio de reais com atividades secundárias para o órgão, tais como decoração de interiores e serviço de engraxate. Além disso, ela defende o sistema Blockchain como solução para aproximar a população da organização orçamentária dos poderes brasileiros. A plataforma funciona como um ‘carimbo eletrônico’ e de acesso aberto que data todas as transações realizadas pelo governo. Desse modo, a tecnologia garante que o cidadão fique a par de como o seu dinheiro está sendo investido.

O Jornal da USP, uma parceria do Instituto de Estudos Avançados, Faculdade de Medicina e Rádio USP, busca aprofundar temas nacionais e internacionais de maior repercussão e é veiculado de segunda a sexta-feira, das 7h30 às 9h30, com apresentação de Roxane Ré.

Você pode sintonizar a Rádio USP em São Paulo FM 93.7, em Ribeirão Preto FM 107.9, pela internet em www.jornal.usp.br ou pelo aplicativo no celular.

Você pode ouvir a entrevista completa no player acima.

Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn45Print this pageEmail

Textos relacionados