A história da impressão de livros na América do Sul, por Marisa Midori

Antonio Ricardo veio da Europa para exibir seu talento como tipógrafo nestes lados do trópico

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

logo_radiousp790px

Foto: Reprodução/Bibliomania
Foto: Reprodução/Bibliomania

Em sua coluna desta semana, a historiadora Marisa Midori fala sobre os primeiros livros impressos na América do Sul – já em 1530,  os primeiros prelos eram colocados em funcionamento no vice-reino do México. Ali, segundo a historiadora, atuaram alguns impressores muito hábeis, formados nas principais escolas tipográficas europeias, como é o caso de Antonio Ricardo.

Nascido em Turim, na Itália, formou-se em Veneza – na época, o principal centro tipográfico italiano -, migrando depois para outros países europeus, antes de se aventurar  ao Novo Mundo –  primeiro, para o México, e, posteriormente, para o Peru. Foi em Lima que ele imprimiu, em língua espanhola, o opúsculo de quatro páginas intitulado Pragmática sobre os dez dias do ano. Esse raro exemplar encontra-se conservado em uma biblioteca nos Estados Unidos.

Compartilhar no FacebookCompartilhar no Google+Tweet about this on TwitterImprimir esta páginaEnviar por e-mail

Textos relacionados